ÚLTIMAS

A Cultura POP voltou a invadir a Exponor

O Comic Con Portugal regressou à Exponor para a sua quarta edição, tendo recebido milhares de visitantes, naquele que foi o último ano em que o maior festival de cultura POP se realizou no Norte do País.

Durante quatro dias, o maior festival de cultura POP de Portugal voltou a invadir a Exponor, tendo feito a delicia de milhares de visitantes que por lá foram passando. Desde a área dos Jogos, passando pela Cinema e Televisão, o Cosplay, o Comic Con Kids, a Banda Desenha e terminando na Literatura, eram muitas as atracções desta quarta edição, que contou ainda com vários painéis de convidados e atividades, como já é habitual.

Foram muitos os visitantes e fãs do Comic Con que disseram que de ano para ano o festival tem vindo a melhorar, e de facto isso comprova-se, até pelo número de stands que estão presentes. O evento tem ganho notoriedade, e são cada vez mais marcas a querer estar presentes, como tem vindo a acontecer no caso da televisão, que este ano contou com a participação da RTP, FOX, AXN, CineMundo, SyFy, TV Cine & Séries, Canal Hollywood e AMC.


E foi a área de Cinema e Televisão que despertou grandes atenções. Desde o espaço dedicado ao Star Wars, passando pelo Batmobile do filme Liga da Justiça, até aos convidados que vieram cá fazer as delicias de milhares de fãs, a organização do Comic Con Portugal esforçou-se para proporcionar o melhor aos seus visitantes.


Dominic Purcell, Simon Merrells, Clark Gregg, Kirsten Vanganess e Daniela Ruah foram os convidados de excelência que vieram nesta edição, tendo estando à conversa com os muitos fãs que estiveram presentes durante as sessões de fotografias, autógrafos e conferências que deram no evento.

A atriz portuguesa, por exemplo, encheu o principal auditório do Comic Con, e falou da sua vida nos Estados Unidos, tendo falado de "NCIS: Los Angeles", do seu dia a dia em Los Angeles, passando por novos projectos que vai abraçar, os quais serão revelados já em janeiro, como ainda recordado o seu colega Miguel Ferrer.


Os fãs foram ainda presenteados com algumas imagens exclusivas de séries e filmes, como por exemplo Tom Raider, que chega aos cinemas em Março de 2018, e um concerto com as bandas sonoras de sucessos mundiais de cinema.

A RTP também decidiu revelar algumas das suas apostas para o próximo ano no Comic Con Portugal, e apresentou séries como "Casa do Cais" e "1986". A primeira será exclusiva para a internet, enquanto que a segunda é uma produção de época, da autoria de Nuno Marlk e que contou com vários elementos do elenco para falarem deste projecto.

O Cosplay e a zona dos Jogos também atraíram milhares de visitantes. No que toca ao Cosplay, eram dezenas os admiradores que andavam rigorosamente vestidos das suas personagens preferidas. Desde Navegantes da Lua, a Tom Raider passando por Harry Potter e muitos outros, era possível encontrar personagens dos mais variados tipos.
Sendo dúvida que a Comic Con Portugal tem ganho notoriedade e melhorado ao longo do tempo, e isso é sem dúvida o mais importante, para continuar a atrair milhares de pessoas, mas ainda falta alguns aspectos a melhorar, como ter mais exclusivos para apresentar aos fãs, como episódios de séries que ainda não estrear, e continuar a atrair grandes marcas conhecidas do grande público. Têm sido feitos avanços, mas é pena que a RTP tenha ido apenas com um painel, e não um stand para mostrar mais o que está a preparar para os espectadores. SIC e TVI também onde andam? Seria importante atrair os canais privados também para o evento. Futuramente, também seria interessante tentarem atrair mais canais internacionais, nomeadamente europeus, como a BBC, ITV, entre outros.

Apesar disso, e porque ainda vai na sua quarta edição, a avaliação da Comic Con Portugal é bastante positiva, esperando que a sua evolução e melhoramento constante seja conseguido.

Nesta análise ao evento, não podemos deixar de mostrar algum desagrado perante a opção da deslocação do festival para Lisboa já no próximo ano. Achamos uma decisão errada, primeiro porque foi em Matosinhos que a Comic Con foi acolhida, e depois porque, uma vez mais, estamos perante a centralização de eventos, que por acaso, sempre que têm sucesso a Norte querem leva-los para a capital, e isso não pode continuar a acontecer.

As justificações dadas para esta deslocação, de Lisboa ser uma ponte mais rápida para chegar a espanhóis e outros europeus e factores estruturais, não fazem qualquer tipo de sentido, visto que o Grande Porto, e nomeadamente a cidade do Porto, estão em forte crescimento no que toca à atracção turística e tem todas as condições estruturais para continuar a albergar a Comic Con Portugal.

Esperemos que a organização repense a sua estratégia, e tenha em consideração o facto de quem os acolheu primeiro, e que o Comic Con Portugal volte, quem sabe em 2019, à Exponor. Por agora, até 2018, em Lisboa!

Sem comentários